Urticária aguda e crónica - como tratar?

2019-05-26

Urticária aguda e crónica - como tratar?

Como se trata a urticária aguda?

O tratamento consiste em anti-histamínicos (comprimidos antialérgicos) e, em alguns casos de maior gravidade, também com corticóides. Dependendo da causa, pode ser importante manter os anti-histamínicos durante 1 a 2 semanas para evitar o reaparecimento dos sintomas. Na urticária espontânea, os sintomas desaparecem tal como apareceram, espontaneamente.

Como se trata a urticária crónica?

É fundamental encontrar a causa, e se for possível controlar a causa consegue-se assim tratamento.
Mas na urticária crónica não muitas vezes existe tratamento causal,quando a cause não é identificada.
Nesses casos, o tratamento medicamentoso consegue aliviar os sintomas ou mesmo eliminá-los, mas não resolve o mecanismo que produz a urticária. Como os anti-histamínicos e/ou corticosteróides não curam a urticária e apenas atuam sobre os sintomas, fazendo desaparecer as pápulas temporariamente durante a sua toma, assim que se suspendem os fármacos as queixas reaparecem, o que pode ser interpretado como um fracasso terapêutico. Isto não quer dizer que o tratamento tenha perdido a eficácia, simplesmente tem de se entender que não é curativo, apenas para alívio sintomático!
Pelo contrário, é fundamental entender que o tratamento deve ser mantido de forma constante (mesmo que já não apareçam pápulas) até decisão médica, e não interrompido constantemente, uma vez que os sintomas vão reaparecer, muitas vezes de forma mais grave e de mais difícil controlo.

A primeira linha de tratamento são os medicamentos anti-histamínicos (por exemplo a loratadina, etc). Nos casos em que a resposta clínica não é adequada, podem aumentar-se as doses, o que normalmente permite um melhor controlo da doença. Se continuar a não haver melhoria, deve considerar-se fármacos alternativos, nomeadamente um ciclo de corticosteróides, o uso de ciclosporina, montelucaste, ou o recente omalizumab (tratamento injetável de administração exclusiva hospitalar). A decisão sobre qual opção escolher pode ser diferente dependendo do caso clínico. A urticária demora a passar, mas quando é seguida com paciência e empenho, quase sempre se encontra uma alternativa terapêutica eficaz que permite ao doente ter uma vida normal.

Algumas medidas em casa podem ser úteis para diminuir a comichão, principalmente à noite: banho com água fresca, e sabonete/gel de banho adequado a pele sensível (fale com o seu médico para o aconselhar sobre os mais eficazes!), e/ou aplicação de loção de calamina ou de creme anti-pruriginoso. É fundamental a hidratação cutânea com aplicação de emolientes, particularmente nas formas crónicas.

Ver todas

Últimos artigos

Quando escolher uma fórmula de aminoácidos?
Refluxo no bebé
Alergia a antibióticos - a importância do diagnóstico correto
Alergia ao ovo - o que comer? que cuidados ter?
Como prevenir a urticária ou como evitar “crises”?
Precauções na alergia a abelhas e vespas
Como evitar os sintomas de alergia durante a época de pólens?
Como prevenir ou eliminar os ácaros?
Alergia ao leite e intolerância à lactose – a explicação
Primeiros socorros na anafilaxia