ECZEMA / DERMATITE ATÓPICA

2019-05-08

ECZEMA / DERMATITE ATÓPICA

O Eczema atópico, ou dermatite atópica, é uma doença crónica da pele, que se associa frequentemente a doenças alérgicas, nomeadamente a asma e a rinite alérgica, e aparece habitualmente antes das manifestações respiratórias.
Atinge sobretudo as crianças e em 80% dos casos manifesta-se durante o primeiro ano de vida. Em Portugal, estima-se que cerca de 10% das crianças são atingidas pela doença, embora apenas 1 a 2% sofram de queixas graves. Na maior parte das situações a doença tende a melhorar muito e até a desaparecer com a idade, embora possa permanecer por toda a vida.
A causa do eczema atópico envolve a barreira epidérmica (da pele) associada a uma disfunção imunológica. As pessoas com eczema atópico têm defeitos da permeabilidade desta barreira. A barreira epidérmica consiste em lípidos (gorduras) hidrofóbicos que protegem o ambiente da pele e previnem a perda de água para o exterior. Quando há alteração desta barreira, diminui a hidratação da pele e aumenta a permeabilidade aos agentes exteriores e podem penetrar na pele agentes de alergia e microrganismos patológicos. Por isso, o primeiro passo fundamental consiste em repor os lípidos nesta barreira, através da aplicação muito frequente de cremes específicos.
O diagnóstico baseia-se na presença de prurido (“comichão”), associado a sinais cutâneos como rubor, exsudação, secura e descamação da pele e, em situações mais arrastadas, podem existir cicatrizes provocadas pela coceira persistente. A localização destas lesões varia consoante o grupo etário: nas crianças mais pequenas atinge mais a cabeça (por vezes apenas atrás das orelhas) e as superfícies extensoras dos membros; as crianças mais velhas e os adultos tendem a manifestar a doença atrás dos joelhos e na frente dos cotovelos, e frequentemente também nas pálpebras e à volta dos lábios.

DICAS PARA MELHORAR ESTA CONDIÇÃO:

Usar vestuário de algodão, evitar suar (o suor aumenta a comichão), lavar as roupas novas antes da primeira utilização (prevenir reacções irritativas), unhas cortadas, usar luvas de algodão durante a noite, evitar banhos quentes, evitar sabão (preferir óleo de banho próprio para peles atópicas).

Deve evitar o contacto com as substâncias do ambiente a que seja alérgico (exemplos: ácaros do pó doméstico, animais de companhia). Evitar ambientes secos muito aquecidos ou exposições a ambiente com pó (efeito de secura e irritação), manuseio de produtos químicos, minimizar situações de stress.

Deve proceder à hidratação da pele, utilizando para tal um emoliente (hidratante), o qual deve ser aplicado imediatamente após o banho (água morna) com o objectivo de evitar a evaporação da água retida na pele durante o mesmo. Preferir os emolientes em cuja composição haja predominância de ácidos gordos e não água. No banho deve utilizar óleos específicos e nunca sabão/sabonete/gel de banho alcalinos. Deve entender que a hidratação é um tratamento fundamental no controlo clínico.

Ver todas

Últimos artigos

Tudo o que gostava de saber sobre alergias sazonais
Alergia ao KIWI
ECZEMA / DERMATITE ATÓPICA
Dermatite de contacto
Alergia a FRUTOS SECOS e SEMENTES
Alergia a MARISCO
Alergia ao AMENDOIM e outras LEGUMINOSAS